iPhone: Aplicação iMussolini retirada da loja de aplicações

A aplicação iMussolini, que teve um enorme sucesso em Itália e permite escutar, ler e ver os discursos do ditador fascista no iPhone, foi hoje retirada de venda da loja de aplicações da Apple, disse à France Presse o seu criador, que invocou problemas com direitos de autor.

O criador da aplicação iMussolini, Luigi Marino, explicou que "preferiu retirá-la de venda" depois de receber ameaças de acções judiciais por parte da Cinecittà Luce, a sociedade pública que detém os arquivos e os direitos dos vídeos com discursos de Mussolini que a aplicação disponibiliza.

Luigi Marino não exclui, no entanto, a possibilidade de voltar a colocar a aplicação para venda, depois de verificar a propriedade dos direitos.

A iMussolini estava no primeiro lugar do top de vendas da 'AppStore' (loja de aplicações da Apple) em Itália, onde foi descarregada pelo menos mil vezes por dia na semana do seu lançamento, a 21 de Janeiro.

Hoje, a sociedade Cinecittà Luce emitiu um comunicado dizendo que processará qualquer pessoa ou entidade que vender conteúdos cujos direitos sejam detidos por si. A sociedade classificou ainda a aplicação como "particularmente odiosa", por constituir uma "utilização instrumental e comercial dos discursos" de Benito Mussolini.

Esta aplicação foi denunciada por um grupo de sobreviventes do Holocausto, que viu a reprodução dos discursos do ditador fascista como "um insulto à memória de todas as vítimas do nazismo e do fascismo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG