Cientistas criam garrafa de água que se enche sozinha

Tendo como inspiração o besouro do deserto da Namíbia, em África, a empresa americana 'NBD Nano' está a desenvolver uma garrafa capaz de se encher sozinha, recolhendo água do ar.

O besouro da Namíbia desenvolveu a capacidade de extrair água do ar através da condensação. Nas suas costas tem uma zona hidrófila onde armazena a água, o que é essencial para a sua sobrevivência visto que na zona onde habita é raro chover, diz o site do jornal espanhol 'ABC'.

Se o besouro foi capaz de o fazer, os cientistas da 'NBD Nano' acreditam que também podem seguir o seu exemplo, adaptando a natureza à tecnologia. Deckard Sorensen, co-fundador da empresa, concluiu que é possível imitar-se o processo do besouro e aplicá-lo a uma simples garrafa.

O processo, que parece bastante simples, tem como base a criação de uma garrafa coberta de capas hidrófilas e hidrófobas e um pequeno ventilador para fazer circular o ar. Este processo eventualmente levará à condensação, fazendo com que a garrafa se encha de água sozinha. Para isto será necessária uma fonte de energia externa, sendo que uma bateria re-carregável é suficiente, diz o 'ABC'.

Este trabalho está ainda na sua fase inicial mas é um dos muitos exemplos que demonstram como os cientistas procuram na natureza inspiração para a tecnologia sustentável. Em declarações ao site da BBC, Miguel Galvez, co-fundador da empresa, afirmou que estão já a desenvolver um protótipo da garrafa. "Acreditamos que o protótipo inicial será capaz de recolher, em qualquer local, desde meio litro até três litros de água por hora, dependendo do meio ambiente", acrescentou.

O potencial desta inovação reside no facto de haver milhões de litros de água no ar, que não são aproveitados enquanto recurso natural, principalmente considerando que há imensos países de terceiro mundo onde a água é escassa, diz o 'ABC'.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG