Substância inibe produção de espermatozoides

A descoberta de uma substância capaz de inibir a produção de espermatozoides poderá levar ao desenvolvimento de um contracetivo masculino reversível, sem perturbar a produção de hormonas masculinas, revela um estudo norte-americano publicado na revista Cell.

Investigadores dos Estados Unidos testaram, com êxito, uma pequena molécula, a JQ1, em ratos.

"A substância produz uma diminuição rápida e reversível do número e da motilidade dos espermatozoides, com efeitos determinantes sobre a fertilidade", afirmou, citado pela agência AFP, o coordenador do estudo, James Bradner, do Instituto Oncológico Dana-Farber, em Boston.

Os cientistas detetaram que injeções frequentes de 50 a 100 mg/kg da molécula JQ1 - que inibe a proteína BRDT, implicada na espermatogénese (evolução formativa dos espermatozoides) - durante seis semanas conduziram a um efeito contracetivo total em ratos machos.

Após a suspensão do tratamento, a fertilidade regressou ao normal, em média ao fim de três a seis meses, de acordo com as doses recebidas, sem efeito secundário sobre os níveis de testosterona dos animais.

Segundo os investigadores, nenhum fenótipo (aspeto de um organismo) anormal foi observado, até à data, sobre a prole dos ratos.

"Pensamos que as nossas descobertas podem ser completamente transpostas para o homem, abrindo uma estratégia nova e eficaz para a contraceção masculina", salienta a equipa de Boston.

O inibidor JQ1 foi inicialmente trabalhado para tentar tratar um tipo particularmente virulento de cancro epidermoide (que tem origem na epiderme ou nas mucosas). Inibidores análogos desta molécula poderão, no futuro, tornar possível novos agentes anticancerígenos, realçou Martin Matthew Matzuk, um dos coautores do estudo publicado na revista Cell.

Em maio, investigadores escoceses anunciaram a descoberta do gene Katnal 1, responsável pela maturidade dos espermatozoides, abrindo igualmente a via para uma contraceção masculina não hormonal com um medicamento capaz de bloquear o gene.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG