Rússia promete três vacinas contra o ébola dentro de seis meses

O governo russo promete fornecer três vacinas contra o vírus do ébola dentro de seis meses. O anúncio foi feito hoje pela ministra da Saúde, Veronika Skvortsova.

"Criámos três vacinas (...) e pensamos que estarão prontas nos próximos seis meses", afirmou a ministra na televisão russa, segundo a agência Ria Novosti, citada pela AFP.

A governante garantiu mesmo que uma das vacinas "está pronta para ensaios clínicos" e precisou que foi criada a partir de uma estirpe inativa do vírus.

A epidemia de febre hemorrágica ébola que se iniciou na Guiné em dezembro de 2013 fez já pelo menos 4033 mortos, segundo o último balanço da Organização Mundial de Saúde (OMS). Ao todo, há registo de 8399 pessoas infetadas em sete países. A taxa de mortalidade da doença ronda os 90%.

Numa altura em que os medicamentos experimentais estão esgotadas, a OMS deu conta da existência de duas vacinas "promissoras", uma desenvolvida pelos laboratórios britânicos GlaxoSmithKlibe (GSK) e outra criada pela agência de saúde pública canadiana sediada em Winnipeg, cuja licença de comercialização é detida pela sociedade americana NewLink Genetics.

Os ensaios clínicos da vacina da GSK iniciaram-se recentemente no Mali, país africano que faz fronteira com a Guiné.

A OMS espera os primeiros resultados dos ensaios destas duas vacinas em novembro-dezembro e o arranque da segunda fase dos testes (na qual se avaliará a eficácia da vacina) nos países afetados em janeiro-fevereiro.

A Rússia, que não tem registo de qualquer pessoa infetada com o ébola no seu território, enviou no fim de agosto uma equipa de virologistas e um laboratório móvel para ajudar a lutar contra a epidemia na Guiné.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG