Pediátrico de Coimbra lança campanha de higiene

O Hospital Pediátrico de Coimbra iniciou hoje uma campanha interna para o cumprimento das boas práticas profissionais de lavagem de mãos, inserido no projecto da Organização Mundial de Saúde (OMS) "Medidas Simples Salvam Vidas".

"Os profissionais lavam as mãos, a questão é fazê-lo nos cinco momentos", declarou à agência Lusa Gabriela Lopes, membro da comissão regional do Centro daquele projecto da OMS, ao qual aderiu a Direcção-Geral de Saúde em Outubro de 2008.

Com esta iniciativa, que nos próximos dias se estenderá às outras duas unidades integrantes do Centro Hospitalar de Coimbra (CHC) -- o Hospital dos Covões e a Maternidade Bissaya Barreto - pretende-se sensibilizar, dar formação, avaliar resultados e promover um programa para cinco anos.

Segundo Gabriela Lopes, enfermeira no CHC, o objectivo é que os profissionais lavem as mãos antes do contacto com o doente, antes de procedimentos assépticos, após risco de exposição a fluidos orgânicos, após contacto com o doente e após contacto com o meio envolvente do doente.

O propósito é que os profissionais de saúde, nesses cinco momentos, lavem as mãos com água e sabão ou as esfreguem com anti-séptico de base alcoólica.

A fase de implementação do projecto, a terceira, que hoje se inicia no Hospital Pediátrico, foi antecedida, desde Outubro passado, por uma de preparação e de escolha do grupo coordenador das acções e uma outra de diagnóstico da situação, com o lançamento de inquéritos.

Em finais de Dezembro estará concluída a monitorização e avaliação da adesão e preparada uma estratégia para cinco anos, a desenvolver nas três unidades do CHC.

"A inadequada higiene das mãos de profissionais, doentes e visitantes, constitui no ambiente hospitalar uma ameaça, que se traduz no aumento do risco de exposição a agentes microbiológicos", explica Ana Garrido, da Comissão de Controlo de Infecção do CHC.

As três unidades do Centro Hospitalar de Coimbra vão adoptar um conjunto de medidas com o objectivo de promover a higiene das mãos e diminuir, assim, o risco de infecções hospitalares.

Para além de acções de sensibilização destinadas aos profissionais de saúde, aos utentes e visitantes das unidades, serão afixados posters e distribuídos outros materiais informativos.

Esta estratégia, segundo uma nota de imprensa do CGC, prevê ainda a generalização do acesso a soluções anti-sépticas de base alcoólica, a realização de acções de formação e a monitorização dos comportamentos adoptados, nomeadamente, mediante a contabilização do consumo mensal dos produtos de higiene.

Segundo os responsáveis, o projecto, para além de contribuir para a prevenção de infecções associadas aos cuidados, irá ainda permitir a curto prazo um aumento da qualidade e da segurança na prestação de cuidados nas três unidades do Centro Hospitalar de Coimbra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG