Operação nos EUA ao "homem sem rosto" paga pelo SNS

A operação nos Estados Unidos ao "homem sem rosto", um português conhecido pela sua deformação no rosto, foi totalmente paga pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS), no âmbito da assistência médica no estrangeiro, segundo fonte da Direcção Geral da Saúde.

Cláudio Correia, responsável por esta área na Direcção Geral da Saúde (DGS), disse à Agência Lusa que este é um caso que mereceu "especial atenção" por parte deste organismo do Ministério da Saúde, dada a gravidade do problema.

O "homem sem rosto" é José Mestre, que recentemente foi operado em Chicago à deformação congénita que lhe estava a colocar a vida em risco.

O processo de encaminhamento para o estrangeiro foi feito por uma equipa do Hospital Amadora-Sintra e apoiado pela DGS, tendo cabido ao SNS o pagamento de toda a despesa: intervenção cirúrgica, alojamento, viagens e acompanhamento.S

"Este é um caso que ultrapassa, e muito, a questão financeira", disse.

Na cirurgia, foi removido um tumor de 40 centímetros e 5,5 quilos a José Mestre. O tumor, que cobria a maior parte do rosto e punha em risco a vida do "homem sem rosto", foi retirado depois de três meses de preparação em Chicago, nos Estados Unidos, tendo sido necessárias quatro cirurgias.

A doença de José Mestre é um hemangioma cavernoso, que é uma mal deformação congénita, constituída por vasos sanguíneos anormais, que cria aquela deformidade muito grave e monstruosa.

Exclusivos