Médico diz ter provado o 'milagre' da testosterona

Um médico de Las Vegas que tem 74 anos e um corpo que aparenta metade da sua idade, terá dentro de si o segredo da vida longa: um bom nível de testosterona. Pelo menos, é o que ele acredita.

O médico tinha cerca de 50 anos quando percebeu que se tinha tornado num homem de meia-idade, com peso a mais, podendo morrer a qualquer momento: "Eu estava realmente fora de forma, tinha muita gordura corporal, que resultou, mais tarde, em diabetes e nalgumas doenças cardíacas", afirmou à BBC, sem dar o seu nome verdadeiro.

Até que decidiu começar a tratar mais de si. Começou por fazer uma dieta muito rigorosa e a frequentar um ginásio. Foi preciso apenas um ano para o seu corpo se modificar completamente. Em 1998, ficou em primeiro lugar numa competição, para pessoas que tinham alterado drasticamente o físico, garantindo: "A minha vida mudou e eu sinto-me muito bem com esta mudança".

O homem conta à BBC como toda a sua vida mudou no vídeo que se segue:

Só que quando ficou mais velho notou que estava estava a perder algumas das suas capacidades físicas e que começava a ter dificuldades para manter o corpo magro. Aos 60 anos, resolveu ir a Las Vegas para assistir a uma conferência médica que tinha como tema "parecer e sentirmo-nos mais jovens". E a partir dessa altura começou a prestar atenção às suas hormonas. "Eu fiz análises ao sangue e percebi que tinha uma deficiência nos níveis de testosterona", conta. Decidiu então recorrer a injeções semanais para compensar.

"Quando a testosterona fica baixa, os homens perdem a vontade de ir ao ginásio", garante. "Vários homens dizem-me que sofrem de menopausa masculina, a conhecida andropausa, e que esta lhes prejudica a vida".

O médico diz que quando o nível de testosterona torna-se saudável a gordura corporal e muscular começa a desaparecer.

As hormonas sexuais, estrógeno e testosterona, na mulher e no homem, representam vários papéis no organismo. Segundo a BBC, estudos comprovam que estes estão envolvidos nalgumas mudanças relacionadas à idade, como por exemplo o desenvolvimento da demência.

Christian Pike, um neurologista da Universidade do Sul da California, que é especialista no cérebro e na doença de Alzheimer, declarou à BBC: "A testosterona é fantástica". Pike diz que há investigações bastante promissoras no que toca à possibilidade de o sistema cerebral estar ligado à testosterona. O mesmo diz que os níveis relativamente altos de testosterona estão associados a uma maior longevidade e que as pessoas que vivem mais tempo têm também melhores níveis hormonais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG