Químico contra cancro da mama eficaz no cancro do pulmão

O tamoxifeno, um medicamento utilizado para o tratamento de algumas formas de cancro da mama, pode também contribuir para reduzir a mortalidade em pessoas com cancro do pulmão, segundo um estudo publicado hoje, segunda-feira, no norte-americano "The Cancer Journal" e citado pela Agência France Press.

Estudos anteriores tinham já demonstrado que as mulheres que faziam terapia hormonal com estrogénio - para reduzir os efeitos da menopausia - tinham um risco maior de morrer por câncer de pulmão. Uma vez que o tamoxifeno é um medicamento que bloqueia o estrogénio, este pode melhorar a sobrevivência em pessoas com cancro de pulmão.

Cientistas examinaram 6.655 mulheres que tiveram cancro da mama entre 1980 e 2003, segundo o registo de tumores de Genebra, das quais 3.066, ou 46%, receberam tratamento com antiestrogénios.

O estudo, coordenado por Elisabetta Rapiti, que acompanhou a saúde das mulheres até 2007, mostra que as pacientes que receberam antiestrogénios tiveram 87% menos risco de morte com cancro do pulmão que as outras.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.