Exercício moderado é segredo para cuidar do corpo e "limpar" a mente

Sedentarismo é um grave problema, alerta a Fundação Portuguesa  de Cardiologia. Mas esforço físico tem de ser regular.

A prática de exercício físico é "indispensável para um coração saudável", diz o presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia (FPC), Manuel Carrageta. Mas mesmo o desporto deve ser "prescrito" com moderação. "Tudo o que é excessivo faz mal e o desporto de alta competição não é bom para saúde."

Para o comum dos cidadãos, no entanto, a prática de uma actividade física regular pode representar inúmeros benefícios pa- ra a saúde e bem-estar. "Ajuda a controlar a tensão arterial, reduz o colesterol, melhora o metabolismo da glicose, o que permite fazer a prevenção da diabetes, ajuda a controlar o peso e melhora os factores de coagulação do sangue", explica o presidente da FPC.

Lamentando que o desporto seja o "benefício para o coração menos praticado pelos portugueses", Manuel Carrageta está preocupado com as consequências do sedentarismo excessivo de crianças e jovens que passam "demasiado tempo frente aos televisores e aos ecrãs de computador", o que faz de Portugal um dos países europeus com maior prevalência de excesso de peso e obesidade infantil.

"Cientificamente pode dizer-se que quem pratica exercício físico tem menos risco de problemas cardíacos." Sendo que, no conceito do cardiologista, exercício tanto é a prática de um desporto como o trabalho no campo, a dança ou uma simples caminhada feita com regularidade. Às vantagens físicas juntam-se as psicológicas: "O exercício reduz a ansiedade e a depressão."

Praticante de BTT há 17 anos, Pedro Amaral confirma que, no seu caso, o bem-estar psicológico é "indissociável" da prática desportiva. "Todos temos contratempos no nosso dia-a-dia que vamos acumulando e ficando cada vez mais transtornados ou libertamo-nos delas. A minha forma de o fazer é a praticar desporto. Preciso de ir gastar energia para limpar a mente."

Ler mais

Exclusivos