87% das mulheres fazem contracepção

Entre as mulheres portuguesas que não desejam engravidar 87% usam algum método contraceptivo, revela a a Associação para o Planeamento Familiar.

Cerca de 87% das mulheres sexualmente activas, que não estão grávidas nem à espera de engravidar, usam algum método contraceptivo, revelou hoje a Associação para o Planeamento Familiar. “A diferença é abissal relativamente aos dados de 1980, altura em que havia apenas 70% de mulheres a fazerem algum tipo de contracepção”, observa Duarte Vilar, director executivo da APF.

Actualmente, do total de mulheres que toma precauções, 67% usam a pílula contraceptiva. O preservativo surge em segundo lugar como opção para 14% das mulheres, seguido pelo DIU com 8% das preferências. A laqueação das trompas representa 5% das medidas contraceptivas e o coito interrompido surge como última opção.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.