Homens europeus vivem menos anos do que as mulheres

Um estudo provou que os homens europeus vivem menos anos do que as mulheres, revelou um estudo da Organização Mundial de Saúde (OMS), hoje citado pela BBC.

Uma investigação revelou que, apesar de a esperança de vida estar a aumentar, os homens continuam a morrer mais cedo do que as mulheres. A equipa da OMS, que analisou nove milhões de pessoas em 53 países, concluiu ainda que os homens não atingiram o mesmo aumento da longevidade das mulheres. Durante o estudo, a equipa concluiu que, em média, as mulheres vivem mais sete anos e meio do que os homens. A partir do ano de 2010, as mulheres europeias começaram a viver, em média, até aos 80 anos, enquanto os homens chegavam apenas até aos 72 anos e meio.

O Relatório Europeu de Saúde revelou também que a esperança média de vida varia de país para país, sendo que as maiores diferenças se centram nos homens. Um homem da Holanda vive, em média, mais 17 anos do que um outro na Lituânia, enquanto que uma mulher holandesa vive apenas mais 12 anos do que uma lituana. A par da Holanda, os países onde se costuma viver mais tempo são a Suécia, o Reino Unido, a Islândia e Israel. Por outro lado, a Ucrânia, a Rússia, a Estónia e a Lituânia, são alguns dos países onde a esperança de vida é menor.

Segundo a mesma investigação, uma pessoa que fuma e bebe álcool, em demasia, tem uma esperança de vida menor que uma outra sem vícios. As doenças cardiovasculares, bem como o cancro, são também algumas das principais causas que levam à morte prematura do ser humano.

Zsuzsanna Jakab, diretora da OMS para a Europa, disse à BBC que existem fortes desigualdades, no que toca à esperança média de vida: "Estas são desnecessárias e injustas e precisam de ser uma prioridade para nós".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG