E o tecido mais diferente de todo o corpo é...

O Atlas da Proteína Humana analisa as células de todos os tecidos do corpo humano. E concluiu que os testículos contêm as células com o mais distinto conjunto de proteínas.

O ADN humano contém cerca de 20 mil proteínas, que contêm as instruções para a criação e o funcionamento de cada parte do corpo. O projeto Atlas da Proteína Humana está a criar uma enorme base de dados que descreve qual a combinação de proteínas que cada tipo de célula necessita para funcionar.

Uma vez que a combinação das proteínas ativas define a função da célula, a compreensão e catalogação destes dados é de grande importância não apenas para o conhecimento científico mas também para a criação de novos tratamentos.

Na sua análise, os investigadores concluíram que no tecido dos testículos contém 999 proteínas que estão consideravelmente mais ativas do que em qualquer outra parte do corpo.

Em jeito de comparação: o cortex cerebral tem 318, o fígado 172 e o tecido muscular zero.

O líder do projeto, o professor universitário Mathias Uhlen, em declarações à BBC, teorizou que esta diferença encontra justificação no complexo método de produção de esperma, que precisa de ter 50% mais ADN do que uma célula normal.

Além de curiosidades como esta, o Atlas da Proteína Humana é uma poderosa ferramenta para a criação de medicamentos, por exemplo. "Há cerca de 600 proteínas que são o alvo de medicamentos. [Com esta informação] pode-se saber onde é que estes alvos estão localizados no corpo humano, o que dá indicações sobre efeitos secundários", afirmou ainda o cientista à BBC.

Exclusivos