Decifrado o genoma da Peste Negra

Esta é a primeira vez que se o genoma de uma bactéria antiga é mapeado

Foi um trabalho lento de detective. Primeiro no terreno, exumando e recolhendo amostras de corpos que foram enterrados num cemitério de Londres nas datas certas - nos anos de 1347 e 1351. Depois foram muitas horas no laboratório, a decifrar e a pôr por ordem milhões de fragmentos de ADN (informação genética). O resultado é a versão completa do genoma da bactéria Yersinia pestis, que no século XIV matou um terço da população europeia, no que foi a epidemia mais devastadora da História da humanidade. O genoma é publicado hoje na revista Nature.

Leia mais pormenores no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG