Risco de Alzheimer pode ser reduzido

Modelo matemático contabiliza pela primeira vez riscos acrescidos relacionados com factores ligados ao estilo de vida e à saúde

Mais de metade dos casos da doença de Alzheimer parecem ser desencadeados pelo estilo de vida e sete factores concretos, como o tabagismo, diabetes, hipertensão, obesidade, ou falta de actividade física parecem decisivos no aumento do risco da doença. São contas de investigadores da Universidade da Califórnia, em São Francisco (EUA), que desenvolveram um modelo matemático para calcular a redução do risco de contrair a doença para cada um dos factores. O estudo, publicado na Lancet Neurology, foi apresentado também em Paris, numa conferência internacional sobre a doença de Alzheimer.De acordo com a equipa de Deborah Barnes, a mudança para hábitos de vida mais saudáveis poderia obter uma redução de risco da doença da ordem dos 25%. Ou seja, seriam menos três milhões de casos anuais no mundo.

Leia mais pormenores no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG