Reencontradas por acaso amostras de vírus da varíola

Cientista de um instituto estatal dos Estados Unidos encontrou o material num laboratório que estava a ser desmantelado

Só há dois sítios no planeta onde hoje é permitido manter, no frio, amostras de vírus da varíola, um agente patogénico altamente infeccioso e mortal: o Centro de Controlo de Doenças (CDC, na sigla em inglês) de Atlanta, nos Estados Unidos, e o Centro de Investigação em Virologia e Biotecnologia, em Novosibirsk, na Rússia, e sob supervisão da Organização Mundial de Saúde (OMS). Foi por isso com surpresa - e grande susto - que um cientista dos National Institute of Health, dos Estados Unidos, encontrou seis ampolas tresmalhadas, numa caixa de cartão com a etiqueta "varíola", num laboratório do instituto, que estava a ser desmontado em Bethesda, no estado de Maryland.

As amostras, que datam 1950, foram encontradas na semana passada. O FBI está a investigar a sua origem, que, por enquanto, é uma incógnita.

Leia mais pormenores no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG