Oceano de Titã tão salgado como o Mar Morto

Dados recentes da sonda espacial Cassini da NASA, que dia 1 de julho completou o seu 10º aniversário desde que atingiu a órbita de Saturno, revelam que o oceano subterrâneo de Titã, o maior satélite natural de Saturno, poderá ser tão ou mais salgado que o Mar Morto, na Jordânia.

As novas descobertas, publicadas na revista Icarus, surgem de um estudo dos dados de gravidade e topografia recolhidos na última década. Linda Spilker, uma das cientistas do projeto, disse ao ABC que "Titã tem provado ser um mundo infinitamente fascinante, e com a nossa nave espacial de longa duração Cassini estão descobrindo novos mistérios...".

Outras conclusões comprovam indicações anteriores de que a crosta gelada da lua é rígida. Os investigadores atribuíram os dados de gravidade que encontraram a uma densidade relativamente alta para do oceano da lua de Saturno. Isto indica que o oceano é extremamente salgado que contém sais dissolvidos compostos de enxofre, de sódio e de potássio e que o faz ter um teor de sal igual ao das águas mais salgadas da Terra.

Segundo o ABC, Giuseppe Mitri, o autor principal do artigo, da Universidade de Nantes (França), afirma que estes valores "podem mudar a maneira de ver este oceano como possível morada para a vida na atualidade, mas as condições poderiam ter sido muito diferentes ali no passado".

Os dados revelados pela sonda também indicam que a espessura da crosta de gelo de Titã varia ligeiramente de um lugar para outro.

A extraordinária aventura da sonda Cassini nos anéis de Saturno, em busca de imagens e dados únicos que revelaram que a superfície gelada e inóspita de algumas luas, como no Encélado, pode esconder oceanos de água líquida teoricamente capazes de sustentar a vida.

A 1 de julho de 2004, a sonda espacial Cassani, nascida da colaboração entre a NASA (Agência Espacial Americana), a ESA (Agência Espacial Europeia) e a ASI (Agência Espacial Italiana), entrava na órbita do planeta dos anéis. Desde aí que os investigadores têm aprendido muito sobre o papel da água no Sistema Solar.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG