NASA. Sonda Perseverance pousou com sucesso em Marte

O novo rover da Nasa pousou com sucesso na superfície marciana após uma complicada operação de entrada na atmosfera. "Ainda é difícil acreditar que acabámos. Ainda parece surreal" disse a equipa responsável pelo feito.

A NASA conseguiu esta quinta-feira pousar mais uma sonda robô na superfície marciana. A sonda Perseverance aterrou às 20.55 no Planeta Vermelho, na cratera de Jezero, e enviou as primeiras imagens, para gáudio dos cientistas em Terra. "Olá, mundo. Este é o primeiro olhar sobre a minha nova casa", lê-se na conta oficial da missão Perseverance na rede social Twitter.

Veja o vídeo em direto:

A Perseverance leva consigo um drone helicóptero que a NASA vai utilizar para sobrevoar a superfície marciana. Será a primeira vez que um aparelho deste género será utilizado numa missão num planeta que não a Terra.

A aterragem da Perseverance em Marte foi uma operação complicada, apelidada de "sete minutos de terror". Implica a utilização de retrofoguetes e longos paraquedas para travar a velocidade de reentrada da cápsula que carrega o rover.

Veja a simulação de como tudo aconteceu

Este rover é o quinto a tocar o Planeta Vermelho. O primeiro aconteceu em 1997 e todos foram americanos.

Este é também o maior de todos -- tem sensivelmente as dimensões de um SUV, pesa uma tonelada, está equipado com um braço robótico de dois metros, tem 19 câmaras e dois microfones.

Esta é também a primeira vez que uma destas sondas transporta microfones para a superfície marciana, pelo que irá permitir ao Homem ouvir sons de Marte.

O aparelho leva consigo ainda um conjunto de outros instrumentos científicos que permitirão realizar várias experiências, nomeadamente procurar vestígios de vida microbiológica.

Tal como acontece com os seus "primos" já no solo marciano, prevê-se que a missão da Perseverance seja multianual, mas não tem fim definido. Durará tanto quanto as circunstâncias - e o equipamento - o permitirem.

NASA destaca sucesso da missão

A equipa responsável pelo pouso da "Perseverance" em Marte congratulou-se com o sucesso da missão, que vai agora avançar para a fase de análise da superfície do planeta e da recolha de amostras.

"[Trabalhar na missão] consome-nos, torna-se parte de nós, de alguma maneira, ainda é difícil acreditar que acabámos. Ainda parece surreal (...). Temos de estar constantemente aterrorizados, temos de respeitá-lo, mas, ao mesmo tempo, temos de acreditar que vamos conseguir, porque, de outro modo, nunca colocaríamos um 'carro' em Marte", disse o Matt Wallace, gerente adjunto do projeto, em conferência de imprensa, transmitida em direto através da rede social YouTube e na página da NASA na internet.

Já Thomas Zurbuchen, administrador associado da Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) não escondeu a emoção e disse que havia dois planos: o original e um de contingência, para o caso de a missão não correr como o esperado.

Depois, o responsável levantou-se e rasgou o plano de contingência, enaltecendo o momento "histórico" que foi a chegada do "Perseverance" ("Perseverança") a Marte. "Colocámos um representante da Terra numa zona que nunca foi vista", destacou o diretor do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, Michael Watkins.

Questionada pelos jornalistas sobre quando é que é expectável que haja dados recolhidos pelos microfones do robô, Jennifer Trosper, gerente adjunta do projeto, disse que, apesar da aterragem bem-sucedida, o trabalho não parou e que as primeiras informações sobre a captação de som poderão estar disponíveis ao início da manhã de sexta-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG