Meteorito que caiu na Rússia tem material científico valioso

O meteorito que caiu a 15 de fevereiro perto da cidade russa de Tcheliabinsk (nordeste) é crucial para o estudo das etapas iniciais do sistema solar, informaram hoje geólogos russos.

Segundo comunicado oficial da Academia de Ciências da Rússia, sediada em Moscovo, análises foram realizadas com o objetivo de estudar os componentes a partir dos quais foram criados os planetas.

Fragmentos do meteorito, cedidos por um residente de uma aldeia da zona atingida, são constituídos por silicatos de minerais como olivina e ortopiroxénio, incluindo também sulfureto de ferro e níquel, e, em menor medida, crómio, clinopiroxénio e plagióclase.

Na opinião dos geólogos russos, o maior fragmento do meteorito encontra-se no fundo do lago gelado de Chebarkul, a sul dos Montes Urais, local onde a queda do objeto espacial deixou um enorme buraco no gelo.

Apesar das baixas temperaturas e neve em abundância em Tcheliabinsk, especialistas da Universidade Federal dos Urais continuam a procurar na zona fragmentos do meteorito.

Os cientistas estão contra a "recolha indiscriminada" de restos do meteorito pela população local, pois trata-se de material valioso para investigar a história do Universo.

O meteorito, que deixou mais de 1.500 feridos na região, 319 dos quais crianças, tinha segundo a agência espacial norte-americana NASA uma massa de 10.000 toneladas no momento em que entrou na atmosfera, sendo o maior que caiu na Terra desde 1908.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG