Leónidas trazem 15 estrelas cadentes por hora

O ponto alto da chuva de estrelas que todos os anos é visível em novembro é hoje e amanhã à noite. Se o tempo ajudar, será possível ver 15 estrelas cadentes por hora (os mais brilhantes de um total estimado de 200 meteoros).

As Leónidas, assim chamadas porque parecem oriundas da constelação de Leão, são na realidade pequenos pedaços de rocha e gelo resultades da passagem do cometa Tempel-Tuttle (que orbita o Sol a cada 33 anos). À medida que o nosso planeta passa por essa nuvem de resíduos, as pequenas partículas entram na atmosfera a uma velocidade de até 72 quilómetros por segundo e desintegram-se.

Segundo o Observatório Astronómico de Lisboa, este enxame é o que mais chuvas espetaculares tem desencadeado nos tempos modernos. De acordo com a mesma fonte, a chuva de estrelas de 1833 terá aterrorizado a América. A Associação Astronómica Espanhola, citada pelo jornal ABC, diz que em certos casos a chuva de estrelas parece um verdadeiro espetáculo de fogo de artifício.

(Notícia corrigida às 13.30. Na primeira versão estava escrito, erradamente, que as partículas entravam na atmosfera a uma velocidade de até 72 km/h)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG