Quatro dias da Terra vistos do espaço em ultra-alta-definição

Vídeo condensa em cerca de quatro minutos outros tantos dias do Planeta. Imagens foram captadas por satélite meteorológico russo geo-estacionário.

A cerca de 40 mil quilómetros da Terra, o satélite russo Elektro-L encontra-se em órbita geo-etacionária - ou seja, tem sempre a mesma face do planeta virada para si. E está equipado com câmaras capazes de captar imagens com 121 megapixeis de resolução (11136x11136 pixeis) a cada 30 minutos. O vídeo em baixo é a "colagem" de várias destas fotografias, captadas entre 15 e 19 de maio de 2011, de forma a criar um vídeo "time-lapse".

A resolução das câmaras é tão elevada que permite criar um vídeo em ultra-alta-resolução, também conhecida por 4K. Uma qualidade impressionante que, mesmo assim, equivale a apenas metade do que a câmara na realidade capta. Veja o vídeo em tela inteira, definindo a qualidade máxima que o seu monitor conseguir reproduzir.

Descreve o especialista que criou o vídeo, James Tyrwhitt-Drake, da agência espacial russa: "As imagens foram redimensionadas em 50% e desalinhamentos entre 'frames' foram corrigidos manualmente. Os níveis foram ajustados (...) de forma a mostrar a vegetação [num tom] mais natural".

Tyrwhitt-Drake explica ainda porque não se vê, durante o período noturno, quaisquer luzes: "Se a câmara estivesse com sensibilidade suficiente para detetar a luminosidade das cidades, a imagem da Terra ficaria com sobre-exposição".

Também o Sol nunca aparece devido ao "mecanismo de proteção do [sensor] CCD da câmara. [Existe] uma máscara circular no CCD [que] garante que apenas a Terra é visível. A presença desta máscara pode ser vista como uma 'pixelização' no horizonte da Terra. A máscara também exclui as estrelas do plano, ainda que elas não tivessem luminosidade suficiente para serem visíveis".

Explicações técnicas à parte, o resultado é sem dúvida espetacular.

Exclusivos