Pónei da Terceira reconhecido como raça autóctone

O Pónei da Terceira foi reconhecido como raça autóctone, sendo a quarta raça de cavalos em Portugal, anunciou hoje o investigador da Universidade dos Açores que liderou o processo, Artur Machado.

"É a quarta raça do país, é uma raça açoriana, mas, acima de tudo, é uma raça da ilha Terceira", salientou, numa conferência de imprensa na Câmara Municipal de Angra do Heroísmo.

O pedido de reconhecimento da raça ocorreu há cerca de dois anos, mas o trabalho de recuperação dos animais com as caraterísticas do pónei da Terceira foi iniciado há 14 anos.

Segundo Artur Machado, numa primeira fase, foi feito um levantamento dos animais existentes na ilha, depois foi selecionado um grupo de animais que correspondia às caraterísticas típicas do pónei da Terceira e, antes de ser pedido o reconhecimento, houve um aumento do efetivo.

Atualmente, existem, pelas contas do investigador, 118 póneis da Terceira, sendo que só na Universidade dos Açores estão 54 e seis foram enviados para o continente, numa tentativa de divulgação da raça.

O que distingue o Pónei da Terceira como raça é o facto de se assemelhar morfologicamente a um cavalo, mas ter a dimensão de um pónei.

Para Artur Machado, "é o cavalo ideal para o ensino de equitação para as classes mais jovens", mais precisamente entre os seis e os dez anos.

"Um dos nossos primeiros objetivos é tentar arranjar um profissional que possa realmente explorar a qualidade da equitação desses animais", revelou, salientando que em dezembro de 2013 os póneis da Terceira alcançaram vários prémios numa competição nacional.

Segundo o investigador da Universidade dos Açores, há também interesse na aquisição destes póneis na Europa, mas ainda é cedo para avançar com a exportação.

"Há interesse, haveria possibilidade, mas temos ainda de criar uma maior sustentabilidade do ponto de vista genético do próprio efetivo", frisou, considerando que é preciso primeiro "consolidar a produção na ilha".

Por sua vez, Paulo Caetano Ferreira, presidente da Associação de Criadores e Amigos do Pónei da Terceira, salientou que é uma "honra" para a ilha ter uma das quatro raças de cavalos de Portugal, destacando também a importância económica.

"Estes póneis têm valores muito altos no mercado europeu. Quando for possível exportá-los, vendê-los, com certeza se há de fazer algum dinheiro aqui na região", frisou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Monsanto

"Nunca pensei desistir." O jardineiro que derrubou a Monsanto

Não é um homem rico, como muitos pensam, porque ainda não recebeu a indemnização da Monsanto. Nem sabe se viverá o suficiente para assistir ao acórdão final do processo que travou contra a gigante agroquímica, dona da marca RoundUp. Ainda assim, sabe que já fez história. Na luta contra um cancro (linfoma não Hodgkin), diz que tem dores, altos e baixos, mas promete não desistir. Se houvesse cura, Dewayne Lee Johnson gostaria de criar uma fundação e dedicar-se mais à música e à arte.