Osso mostra mão 'moderna' há 1,4 milhões de anos

Fóssil encontrado no Quénia revelou ser o osso da mão mais antigo até hoje descoberto

A evolução do incrível "instrumento" que é a mão, até à sua versão moderna, é uma história mal conhecida, porque quase não há registos fósseis que ajudem a contá-la, mas agora uma peça fundamental e surpreendente deste puzzle foi encontrada no Quénia.

Trata-se de um osso do metacarpo que liga a base do terceiro dedo ao pulso. Ele é, não apenas o registo fóssil mais antigo de uma mão humana, com os seus 1,42 milhões de anos, mas constitui também a prova de que a destreza que nos caracteriza é, afinal, muito mais antiga do que se poderia supor.

O osso, que foi encontrado em Kaitio, na região de Turkana, no Quénia, por um grupo internacional de paleontólogos liderado pela investigadora Carol Ward, da Universidade de Missouri, Estados Unidos, pertencia a um hominídeo do tipo do Homo erectus, e evidencia uma capacidade de controlo do pulso idêntica à do Homo sapiens.

Leia mais pormenores do e-paper do DN

Ler mais

Exclusivos