ONU admite erro em previsões sobre gelos dos Himalaias

Os glaciares dos Himalaias afinal não vão desaparecer até 2035

O vice-presidente do Painel Internacional para as Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês) reconheceu ter errado nas previsões sobre o fim dos glaciares nos Himalaias.

Em 2007, Jean-Pascal van Ypersele publicou um relatório em que estabelecia 2035 como o momento em que, devido às mudanças climáticas, aqueles glaciares teriam desaparecido.

Van Ypersele admitiu agora ter errado nas projecções e que estas iriam ser revistas. Sublinhou, no entanto, que este erro em nada muda a tendência geral da influência do homem no clima.

A questão dos glaciares himalaios e da data do seu desaparecimento foi suscitada em 1999 pelo glaciólogo indiano Syed Hasnain. A data foi retomada por um relatório de 2005 do World Wildlife Fund (WWF); este documento foi tomado como base para as conclusões do IPCC sobre a matéria.

Este erro, assim como a questão dos emails roubados em 2009 da Unidade de Investigação sobre o Clima da Universidade de East Anglia, vem desferir mais uma machadada na credibilidade de uma série de cientistas que anunciam mudanças radicais nos padrões climáticos, consideram alguns comentadores.

O responsável do IPCC considera ser esta uma interpretação exagerada. “Não vejo como um erro num documento de três mil páginas pode colocar em causa todo um relatório”, afirmou Ypersele.

Ler mais

Exclusivos