Mulheres na Ciência: 20 retratos

Exposição que homenageia as mulheres cientistas portuguesas foi inaugurada esta tarde no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa

Ser cientista é "o prazer da descoberta", é ter "o privilégio de passar os meus dias a satisfazer uma das mais básicas necessidades humanas: a curiosidade", diz a bióloga e investigadora Maria Mota. É esta frase que acompanha a sua fotografia na exposição Mulheres na Ciência, que foi inaugurada hoje no Pavilhão do Conhecimento para celebrar o Dia Internacional da Mulher e também a ciência e as cientistas.

São, para já, 20 retratos de 20 investigadoras portuguesas, da autoria da fotógrafa Luísa Ferreira. Mas, ao longo do próximo ano, a mostra vai crescer, com mais e mais retratos nas paredes do Pavilhão do Conhecimento, e dentro de um ano a ideia é que a exposição se transforme num livro.

Entre as 20 portuguesas retratadas neste núcleo inicial da exposição estão, além da bióloga Maria Mota, a historiadora Irene Pimentel, a neurocientista Catarina Resende Oliveira, a engenheira microeletrónica Elvira Fortunato, a ecóloga Helena Freitas, a astrónoma Teresa Lago, a imunologista Maria de Sousa, a engenheira química Mara Freire, a oncobiologista Raquel Seruca e a matemática Carlota Simões.