Milhares de tartarugas mensalmente contrabandeadas

Milhares de espécies protegidas de tartarugas estão a ser mensalmente contrabandeadas de Antananarivo, capital de Madagáscar, para mercados asiáticos onde são usadas como remédios ou animais de estimação, denunciou hoje o Fundo Mundial para a Natureza (WWF).

Citando dados de uma recente pesquisa da organização, a diretora do WWF em Madagáscar, Anitry Ny Aina Ratsifandrihamanana, estimou que entre "93 e 2.800 tartarugas" são capturadas por mês por pessoas que conseguem colocá-las fora das fronteiras malgaxes.

Mas "a extensão da caça ilegal e do tráfico é mais grave", disse Anitry Ny Aina Ratsifandrihamanana, citada pela AFP.

Dados de um estudo da WWF feito em 2005 indicavam que 60 mil pequenos invertebrados foram traficados naquele ano, a nível nacional e internacional, " o que perfaz uma média mensal de 5.000 tartarugas vítimas de tráfico".

"Este ano podemos esperar um aumento por causa das crises recentes", disse, no entanto, a coordenadora da WWF em Madagáscar, Tiana Ramahaleo, citada pela AFP.

Na terça-feira, um malgaxe foi preso por tentar contrabandear 127 tartarugas recém-nascidas no Aeroporto Internacional de Antananarivo, uma semana depois da prisão de um cidadão russo que também estava a tentar vender ilegalmente 50 tartarugas recém-nascidas no mesmo aeroporto.

A maior parte das espécies protegidas de tartarugas de Madagáscar são vendidas na Ásia, nos Estados Unidos e também na vizinha África do Sul.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.