Cães detetam cancro do pulmão através do faro

Os cães têm a capacidade de detetar casos de cancro do pulmão através do faro, segundo um estudo piloto realizado na Áustria hoje divulgado.

"Os cães não têm qualquer problema em identificar os doentes que sofrem de tumores" cancerígenos, indicou Peter Errhalt, chefe do Departamento de Pneumologia do hospital de Krems (nordeste da Áustria) e um dos autores do estudo.

Durante um período de testes, cães cheiraram 120 amostras de hálito provenientes de doentes e de pessoas saudáveis. Os animais conseguiram identificar com uma taxa de 70 por cento de sucesso os doentes diagnosticados com cancro de pulmão.

O resultado do estudo piloto foi "encorajador" e vai originar o lançamento de uma investigação mais alargada, com a análise de amostras de 1.200 pessoas, afirmou Peter Errhalt, durante uma conferência de imprensa, acrescentando que o novo estudo deverá durar dois anos.

Os resultados hoje divulgados vão ao encontro de outros testes realizados nos Estados Unidos e na Alemanha.

O objetivo final da investigação é determinar quais são os odores que os cães detetam, explicou Michael Muller, do hospital Otto Wagner em Viena, que também colaborou no estudo.

Esta investigação poderá originar, a longo prazo, a criação de uma espécie de "nariz eletrónico" que ajude a diagnosticar casos de cancro do pulmão num estado precoce, aumentado desta forma as hipóteses de sobrevivência dos doentes, sublinhou Michael Muller.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Patrícia Viegas

Espanha e os fantasmas da Guerra Civil

Em 2011, fazendo a cobertura das legislativas que deram ao PP de Mariano Rajoy uma maioria absoluta histórica, notei que quando perguntava a algumas pessoas do PP o que achavam do PSOE, e vice-versa, elas respondiam, referindo-se aos outros, não como socialistas ou populares, não como de esquerda ou de direita, mas como los rojos e los franquistas. E o ressentimento com que o diziam mostrava que havia algo mais em causa do que as questões quentes da atualidade (a crise económica e financeira estava no seu auge e a explosão da bolha imobiliária teve um impacto considerável). Uma questão de gerações mais velhas, com os fantasmas da Guerra Civil espanhola ainda presente, pensei.