Cães detetam cancro do pulmão através do faro

Os cães têm a capacidade de detetar casos de cancro do pulmão através do faro, segundo um estudo piloto realizado na Áustria hoje divulgado.

"Os cães não têm qualquer problema em identificar os doentes que sofrem de tumores" cancerígenos, indicou Peter Errhalt, chefe do Departamento de Pneumologia do hospital de Krems (nordeste da Áustria) e um dos autores do estudo.

Durante um período de testes, cães cheiraram 120 amostras de hálito provenientes de doentes e de pessoas saudáveis. Os animais conseguiram identificar com uma taxa de 70 por cento de sucesso os doentes diagnosticados com cancro de pulmão.

O resultado do estudo piloto foi "encorajador" e vai originar o lançamento de uma investigação mais alargada, com a análise de amostras de 1.200 pessoas, afirmou Peter Errhalt, durante uma conferência de imprensa, acrescentando que o novo estudo deverá durar dois anos.

Os resultados hoje divulgados vão ao encontro de outros testes realizados nos Estados Unidos e na Alemanha.

O objetivo final da investigação é determinar quais são os odores que os cães detetam, explicou Michael Muller, do hospital Otto Wagner em Viena, que também colaborou no estudo.

Esta investigação poderá originar, a longo prazo, a criação de uma espécie de "nariz eletrónico" que ajude a diagnosticar casos de cancro do pulmão num estado precoce, aumentado desta forma as hipóteses de sobrevivência dos doentes, sublinhou Michael Muller.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.