Ártico bate recorde mínimo de gelo

Desde 1979, quando os satélites iniciaram as medições, que o Ártico não tinha uma superfície gelada tão pequena. O recorde foi assinalado a 16 deste mês, dia em que as medições apontaram 3,41 milhões de quilómetros de gelo, menos 18% do que o registado a 18 de setembro de 2007, data do recorde anterior.

De acordo com o jornal espanhol El País, que cita um comunicado do Centro Nacional de Registo da Neve e Gelo (NSIDC em inglês), organismo europeu responsável pelas medições, a diferença entre o mínimo anteriormente registado é de 760 quilómetros quadrados. O degelo, referem os cientistas, estará relacionado com o aquecimento global.

Segundo Walt Meier, investigador do NSIDC, em declarações ao jornal espanhol, os valores detetados nas medições de 16 de setembro "foram uma surpresa porque o recorde de 2007 já estava 22% abaixo do anterior. Agora temos metade da superfície gelada registada há poucas décadas".

A velocidade do degelo tem surpreendido os especialistas. E apesar não existem muitos dados disponíveis, estes acreditam que a camada gelada é cada vez mais fina. "Acreditamos que a camada de gelo está 50% mais fina".

A emissão de CO2 em muito tem contribuído para as alterações climáticas, com a destruição da camada de ozono. Muitos países assinaram compromissos para a redução das emissões, mas a meta estabelecida tem sido difícil de alcançar. Prevê-se que nos próximos anos as temperaturas médias venham a aumentar. Efeitos que já se vão sentindo.

Em julho deste ano, Portugal tinha 80% do território nacional em seca severa ou extrema e as bacias hidrográficas estavam abaixo do habitual, resultado de um inverno com pouca chuva. Um cenário idêntico ao vivido em Espanha e que levou o país vizinho a reduzir o caudal o Rio Tejo, partilhado pelos dois países.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".