Hemisfério norte assistiu esta quinta-feira a eclipse anular do Sol

Esta quinta-feira ocorreu um eclipse anular do Sol que foi visível como eclipse parcial em todo o território português e em grande parte do hemisfério norte.

Em Lisboa teve início às 9.47 horas, com o máximo às 10.32 horas, terminando às 11.21 horas. No Porto, o máximo foi às 10.38 horas e em Faro às 10.29 horas, segundo o o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL).

Na base deste eclipse esteve a sombra da Lua sobre a Terra, ou seja, a região onde o eclipse é anular.

O fenómeno percorreu uma trajetória do nordeste da América do Norte ao nordeste da Ásia, atravessando a Gronelândia e oceano Ártico. A duração máxima da anularidade é de três minutos e 48 segundos.

O eclipse foi parcialmente visível para observadores na América do Norte, partes da Europa e do norte da Ásia. Em Londres a lua cobria 20 por cento do sol, enquanto no norte do Canadá, norte da Rússia, noroeste da Groenlândia e Pólo Norte, o sol estava 88% obscurecido pela lua.

Segundo a previsão do OAL, o eclipse terá sido "apenas visível como eclipse parcial em todo o território português", que ficou na penumbra da Lua". Na maioria do território nacional, o eclipse parcial terá sido "pouco percetível, pois as percentagens de área solar coberta são muito baixas, variando entre 4% e 10% no continente e sendo de 30% nos Açores e de 6% na Madeira", pode ler-se.

Embora "a alteração da luminosidade não seja percetível", o eclipse parcial terá sido "facilmente notado ao olhar para o Sol com óculos de segurança", explica o Observatório.

O eclipse foi o primeiro eclipse anular - significando "semelhante a um anel" - de 2021 e o 16.º deste século.

O próximo eclipse solar total ocorrerá a 4 de dezembro, mas só será visível da Antártica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG