Descodificado genoma do tomate

A descodificação do genoma do tomate foi feita por um consórcio de 300 investigadores de 14 países e abre a porta a novas investigações e a possibilidades de melhoramento de outras frutas, segundo os seus autores. Ao todo, o tomate tem 35 mil genes. O resultado desta investigação é publicado na revista Nature.

"Este vai ser um genoma de referência do ponto de vista agronómico e, portanto, económico", afirmou Mondher Bouzayen, director do Laboratório Genómico e Biotecnológico de Frutas, de Toulouse, e um dos autores do trabalho científico. "Os cientistas vão poder agora abordar várias questões que até não podiam [por não haver informação genética]", sublinhou o mesmo investigador.

O genoma descodificado foi o da variedade doméstica Heinz1706 (que serve de base à produção dos molhos de tomate), de nome científico Solanum lycopersicum, e de uma espécie selvagem, o Solanum pimpinellifolium, cujas diferenças genéticas são de apenas 0,6%. Mas, segundo a equipa a escolha poderia ter recaído sobre qualquer espécie, já que o genoma é o mesmo, com apenas diferenças ínfimas.

Leia mais pormenores na edição e-paper desta quinta-feira

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG