Descoberta nova lua de Plutão

Chama-se P5 e foi identificada graças a observações feitas com o telescópio espacial Hubble

Tem uma forma irregular e um comprimento que não excede os 25 quilómetros, mas este novo corpo descoberto no sistema solar não tem nada de insignificante. O astro que acaba de ser anunciado pela NASA é, nada menos, do que a quinta lua de Plutão, o planeta do sistema solar mais distante do Sol, reclassificado pelos astrónomos como planeta-anão, em 2006.

Cinco luas - até agora - acaba por ser, afinal, uma boa marca para um planeta-anão, e os próprios astrónomos, que detetaram a nova lua, graças a observações feitas com o telescópio espacial Hubble, mostram-se surpreendidos com a complexidade do sistema plutónico. Para já, a nova lua chama-se apenas P5.

A descoberta vem, por outro lado, reforçar a tese de que todas estas luas são o que resta de uma brutal colisão entre Plutão e outro corpo da cintura de Kuiper, a região do sistema solar onde ele se encontra.

"A descoberta de tantas luas pequenas diz-nos indiretamente que deverá haver muitas rochas de pequena dimensão no sistema de Plutão", afirmou Alan Stern, o investigador principal da missão Horizon, que está nesta altura a caminho do planeta-anão.

Caronte, a maior das luas de Plutão, e a primeira a ser descoberta, foi identificada em 1978 por astrónomos do Observatório Naval dos Estados Unidos, em Washington. Em 2006, observações com o Hubble permitiram encontrar outras duas luas mais pequenas: Nix and Hidra.

A última lua de Plutão a ser identificada antes desta agora, a P4 (ainda não mudou de nome), também foi detetada pelo telescópio Hubble.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG