Cometa deve poder ser visto a olho nu

(COM VÍDEO) O cometa 'Pan-STARRS' foi descoberto por astrónomos norte-americanos em junho de 2011. No início de março, o corpo celeste vai passar a cerca de 160 milhões de quilómetros da Terra, após entrar brevemente na órbita de Mercúrio. Grande parte dos cientistas acredita que será visível a olho nu, tão brilhante quanto as estrelas da constelação Ursa Maior.

Muito além das órbitas de Neptuno e Plutão, onde o Sol é apenas um pontinho de luz não muito mais brilhante que as outras estrelas, uma enorme quantidade de corpos gelados circula pelo sistema solar. Essa zona é chamada pelos astrónomos de 'Nuvem de Oort', e seria a fonte dos melhores cometas da história.

É de lá que vêm o Pan-STARSS, descoberto pelo Telescópio de Investigação Panorâmica e Sistema de Resposta Rápida no topo do vulcão Haleakala, no Havaí. Os astrónomos utilizam o telescópio de 1,8 metro para vasculhar os céus em busca de objetos que se aproximam da Terra, tanto asteroides como cometas, que podem representar algum perigo para o nosso planeta.

O cometa que apareceu em junho de 2011 foi chamado de "Pan-STARRS", sigla para o nome do telescópio (Panoramic Survey Telescope and Rapid Response System, em inglês).

Veja o vídeo da NASA a explicar as previsões (em inglês):

Mas o cometa poderá tanto impressionar como dececionar a expectativa dos especialistas. Karl Battams, do Laboratório de Pesquisa Naval, diz que "um novo cometa a partir da Nuvem de Oort é sempre uma incógnita igualmente capaz de demonstrações espetaculares ou de tristes fracassos".

"Devido à pouca distância a que passará do Sol, o Pan-STARRS deverá ser muito ativo, produzindo uma grande quantidade de poeira e, portanto, uma bela cauda de poeira", prevê Matthew Knight do Observatório Lowell.

No entanto, ele alerta: "Ainda poderá ser difícil de vê-lo. Do nosso ponto de vista na Terra, o cometa estará muito perto do sol. Isso significa que ele só será observável no crepúsculo, quando o céu não estiver totalmente escuro ".

As melhores datas para observá-los, segundo as previsões dos cientistas, deverá ser 12 e 13 de março, quando o Pan-STARRS surgirá no céu do por-do-sol ocidental, não muito distante da lua crescente. Um cometa e a Lua, em conjunto, emoldurados pelo entardecer azul é uma visão rara.

"Meu palpite é que a principal característica visível a olho nu será o coma gasoso em torno da cabeça do cometa", diz Knight. "A cauda do cometa provavelmente exigirá binóculos ou um pequeno telescópio".

Duas outras datas importantes são 5 de março, quando o cometa aproxima-se da Terra (cerca de 160 milhões de quilómetros) e 10 de março, quando o cometa chegará mais perto do Sol. A quantidade de aquecimento solar que ele receberá apenas dentro da órbita de Mercúrio poderia ser o que o cometa precisa para tornar-se visível a olho nu.

O Pan-STARRS não deve ser confundido com outro cometa, melhor ainda, que virá mais tarde este ano. Os astrónomos esperam que, em novembro de 2013, o cometa ISON poderá brilhar tanto quanto a Lua cheia em plena luz do dia quando passar através da atmosfera do Sol.

"Dois cometas brilhantes num ano é um raro prazer", diz Battams.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG