Caçadores furtivos mataram 350 rinocerontes em 2013

Trezentos e cinquenta rinocerontes foram mortos este ano por caçadores em território sul-africano, disse na quinta-feira o Ministério do Ambiente da África do Sul em comunicado.

O parque nacional Kruger, o maior do país e onde vive a maior número de rinocerontes na África Austral, continua a ser o mais afetado pela caça furtiva.

Segundo a mesma fonte, mais de 100 pessoas já foram presas este ano por caça ilegal.

O Ministério do Ambiente pediu aos cidadãos para denunciar os casos de caça ilegal de rinocerontes que tenham conhecimento, mesmo que o façam em anonimato.

O representante do Governo da província de Mpumalanga pediu aos países vizinhos da África do Sul uma maior colaboração nesta luta contra a caça ilegal.

"Os cidadãos de países vizinhos são supostamente recrutados para caçar no África do Sul, e esta tendência deve parar em breve", disse Shongwe, referindo-se a Moçambique e Suazilândia.

Em 2012, os caçadores mataram 630 rinocerontes na África do Sul.

Segundo organizações de defesa do rinoceronte, as máfias asiáticas compram os chifres para vendê-los a preços elevados na China, Tailândia ou Vietname.

Estima-se que cerca de 20 mil rinocerontes na África do Sul podem desaparecer até 2020 devido à caça furtiva.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG