Bisontes regressam à Roménia dois séculos depois

WWF e a fundação Rewilding Europe querem salvar o bisonte europeu da extinção. Ontem libertaram 17 animais na natureza, nos Montes Cárpatos

Armenis, localidade romena no sul dos Montes Cárpatos, viveu ontem um dia sem paralelo nos dois últimos séculos da sua história, quando uma operação de várias organizações internacionais de conservação libertou na natureza 17 bisontes da espécie europeia Bison bonasus, que está ameaçada de extinção. Foi o arranque de um programa mais vasto, promovido pela WWF e pela Rewilding Europe, que até 2025 prevê ter pelo menos 500 efetivos de bisonte europeu naquela região, onde a espécie estava extinta há 200 anos.

"Este é um dia muito importante, porque estamos habituados a ver desaparecer espécies e hoje estamos a ganhar uma espécie nesta região", afirmou Magor Csibi da WWF Roménia, depois de os animais, provenientes de vários centros de reprodução na Europa, terem sido benzidos pelo padre ortodoxo local e soltos na floresta.

Além das preces do pároco, os 17 bisontes vão poder contar, numa primeira fase, com uma vida relativamente defendida numa zona de vida selvagem protegida, com cerca de 15 hectares, para "aprenderem a sobreviver na natureza e a viver em manada, antes de serem inseridos, em setembro, numa área mais vasta, de 160 hectares, onde terão a companhia de outros grandes mamíferos, como lobos, ursos ou veados", como explicaram os representantes da WWF e da fundação Rewilding Europe, parceira desta operação, que é considerada uma das maiores na reintrodução de espécies na Europa.

Leia mais pormenores no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG