Cratera na Sibéria deixa cientistas perplexos

Foi detetada na sexta-feira uma enorme cratera na península de Yamal (que se traduz por "o fim do mundo"), no norte da Sibéria. Uma expedição urgente partiu já para investigar a misteriosa descoberta. As imagens aéreas, disponíveis no YouTube, mostram um buraco cujas medidas se estimam em 80 metros de largura cuja origem permanece desconhecida.

O buraco foi encontrado por uma equipa que trabalhava na zona para uma companhia de petróleo e os pilotos afirmaram que a cratera era grande o suficiente para alojar vários helicópteros Mi-8.

As causas do acontecimento ainda não são conhecidas, apesar de uma especialista russa apontar o aquecimento global como possível explicação.

Segundo o Siberian Times, os especialistas no local dizem que as bordas escurecidas sugerem que a terra foi "intensamente queimada", havendo acordo quanto ao facto de os materiais à volta da cratera terem sido expelidos do seu interior.

Várias têm sido as hipóteses levantadas pelos curiosos, especialmente online, entre as quais a da queda de um OVNI ou de um meteorito - todas afastadas pelas autoridades. "Podemos avançar que definitivamente, não se tratou da queda de um meteorito. Ainda não podemos divulgar mais detalhes", disse o porta-voz do Ministério da Emergência, citado pelo Siberian Times.

Anna Kurchatova, do Centro de Investigação Científica do Sub-Ártico, explicou à publicação que o solo congelado terá acumulado, ao longo dos séculos, bolsas de uma mistura de gás, água e sal (a zona foi um oceano há 10 mil anos), que com o aquecimento global formaram pressão suficiente para provocar uma explosão semelhante "à da rolha de uma garrafa de champanhe".

A expedição organizada para descobrir as causas da insólita descoberta é composta por elementos do Centro para o Estudo do Ártico (da Rússia) e do Instituto da Criosfera da Academia de Ciências.Os peritos, acompanhados por um especialista do Ministério da Emergência, têm por missão recolher amostras do solo, do ar e da água na região.

A peninsúla de Yamal é a principal zona de produção do gás que a Rússia fornece à Europa, cujo maior campo de extracção é Bovanenkovo, a 30 km da zona da cratera. A quantidade de gás no local pode tornar acontecimentos como este potencialmente perigosos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG