Biólogos de Aveiro descobrem nova espécie 'à porta de casa'

Nova microalga foi identificada em lagoa artificial onde os investigadores da Universidade de Aveiro recolhem regularmente amostras para as aulas

Biólogos da Universidade de Aveiro (UA) descobriram uma nova espécie de microalga, que estava no último lugar onde eles esperavam encontrá-la: à porta de "casa", por assim dizer, numa lagoa artificial no campus universitário, ali instalada justamente para que professores e investigadores do do Departamento de Biologia (DBio) pudessem recolher amostras para as aulas e estudos comparativos.

A nova espécie, que os seus descobridores batizaram como Tovellia aveirensis, numa referência direta à própria cidade, faz parte do grupo dos dinoflagelados, microalgas que causam a maioria das chamas "marés vermelhas" e que, na ria de Aveiro, dão origem às toxinas que muitas vezes impõem a proibição da apanha de bivalves.

"Se à partida me pedissem para indicar um local que pudesse constituir a morada de uma nova espécie, este lago não seria definitivamente uma das minhas primeiras opções", sublinha Mariana Pandeirada responsável pela descoberta, juntamente com os biólogos da UA António Calado e Sandra Craveiro, citada num comunicado da universidade.

O lago, com cerca de 100 metros quadrados e um de profundidade, localizado a 30 metros do Departamento de Biologia da UA, é muitas vezes usado para recolha de amostras e, por isso, os investigadores não esperavam identificar ali um novo organismo. Mas foi exatamente isso que aconteceu.

A descrição da nova espécie, que foi feita com recurso a microscopia eletrónica de varrimento , para estudo da superfície das células, microscopia de transmissão, para lhe descobrir o interior celular, e estudos genéticos, contou com a colaboração de biólogos da Universidade de Copenhaga, na Dinamarca, e foi publicada no European Journal of Phycology.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG