Aquecimento do planeta mudou-se para o oceano

Estudo mostra que abrandamento do aquecimento global é só aparente: o calor está agora a mergulhar no interior do Atlântico

Chamam-lhe já o "hiato no aquecimento global". A princípio, no início da década, surgiu como algo errático e fora das estatísticas, mas os anos sucederam-se e confirmaram a tendência para um abrandamento da subida da temperatura média do planeta, o que pôs a comunidade científica a coçar a cabeça e a repetir medições e a testar hipóteses. Que se passaria afinal?

Investigadores da Universidade de Washington avançam agora uma nova explicação que parece robusta: o calor em falta está a mergulhar nas profundezas do oceano, no que os cientistas dizem ser uma fase de um ciclo do Atlântico.

Os novos dados, que resultam da análise dos registos históricos de temperatura do ar e dos oceanos e de dados de climatologia anteriores às medições meteorológicas - obtidos em colunas de gelo recolhidas por expedições nas calotes polares -, foram publicados ontem na revista Science. E foi justamente no oceano Atlântico que a equipa de Ka-Kit Tung encontrou a resposta para o tal "hiato no aquecimento global" que, à luz do aumento sustentado e imparável das emissões de gases com efeito de estufa, paralelamente registado, não estava a fazer sentido.

Leia mais pormenores no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG