Antepassado humano fazia setas há meio milhão de anos

Estudo publicado na revista 'Science' faz recuar em 300 mil a 200 mil anos a invenção desta tecnologia.

Transformar pequenas pedras em lâminas cortantes e pontiagudas e depois atá-las na ponta de uma vara ou de um cabo, para fazer lanças ou punhais, permitiu à espécie humana dar um salto iemsno no domínio de um ambiente que lhe era hostil. Pensava-se que essa novidade tecnológica decisiva teria surgido há cerca de 200 mil anos, pela mão Homo sapiens e dos Neandertal. Mas a descoberta, na África do Sul, de pontas de seta com meio milhão de anos veio agora alterar essa visão da história humana.

De acordo com um estudo publicado na revista Science por uma equipa de antropólogos coordenada por Jayne Wilkins, do Departamento de Antropologia da Universidade de Toronto, no Canadá, a descoberta faz recuar em 300 mil a 200 mil anos o surgimento destas pontas de seta em pedra.

Isso significa, de acordo com os investigadores, que terá sido o Homo heidelbergensis, o último antepassado comum dos homens modernos e dos Neandertal, o inventor desta tecnologia que ajudou a mudar a história humana.

Este antepassado viveu entre 700 mil e 200 mil anos nas regiões do sul e do leste de África, na Europa e provavelmente na Ásia, onde hoje fica a China.

Ver mais pormenores na edição de amanhã do DN.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG