Anatomia de criatura antiga é reinterpretada

Cientistas fazem novas interpretações sobre anatomia de estranha criatura marinha com tentáculos que viveu há 520 milhões de anos.

Uma equipa internacional de investigadores fez novas observações sobre uma criatura marinha do período Cambriano, Cotyledion tylodes, que viveu há 520 milhões de anos.

Os especialistas encaixavam-na no grupo das águas-vivas, os cnidários. Entretanto, as novas observações anatómicas dos seus fósseis sugerem que a espécie foi um dos primeiros pertencentes aos entoproctas, grupo de pequenas criaturas marinhas. O estudo foi publicado ontem na Scientific Reports.

Com a nova interpretação, sugere-se que o grupo dos entoproctas apareceu antes do que se imaginava. O fóssil mais antigo pertencente a esse grupo, até agora, era datado do período Jurássico (entre 205 e 142 milhões de anos atrás). No entanto, a reinterpretação do Cotyledion tylodes coloca o grupo no início do período Cambriano (entre 545 e 495 milhões de anos atrás).

Os especialistas observaram que algumas características do Cotyledion tylodes se assemelham aos entoproctas modernos, especialmente a presença de um intestino em forma de 'U', com boca e ânus rodeados por uma coroa de tentáculos.

Os cientistas analisaram centenas de fósseis de Cotyledion tylodes preservados no sítio arqueológico de Chengjiang, na província de Yunnan, na China. "Esta é a primeira vez que se confirma que o Cotyledion tylodes teve um intestino em forma de 'U' acomodados na cavidade em formato de cálice", disse à BBC Zhifei Zhang, um dos pesquisadores que trabalhou no estudo.

Cotyledion tylodes era maior do que os entoproctas existentes, medindo entre oito e 56 milímetros de altura. Seu corpo estava coberto por estruturas endurecidas externas, chamadas escleritos, que não são encontrados em entoproctas modernos.

Exclusivos