Quer vender ou comprar casa? Aplicação do INE diz-lhe quanto vale

Comprar ou vender casa é uma tarefa difícil. Sobretudo sem saber os valores de mercado. Agora já há uma aplicação do Instituto Nacional de Estatística (INE) que o ajuda a saber o valor das casas, rua a rua.

Se quer vender ou comprar casa em Lisboa, Porto, Amadora, Coimbra, Gaia e Funchal há uma aplicação do INE que o ajuda a saber o valor da habitação, segundo a TSF. A aplicação "Preços da Habitação nas Cidades", que poderá vir a ser alargada a mais municípios, confirma que os preços praticados na capital são os mais altos.

A aplicação mostra que o o valor mediano das vendas em Lisboa, no segundo trimestre de 2018, chegou aos 2.753 euros por metro quadrado. Mas há zonas onde os preços ultrapassam os seis mil euros. Por exemplo os prédios à volta da Praça Luís de Camões, no Chiado, e algumas ruas nas imediações, onde a mediana das vendas do último ano chegou aos 8.366.

Em declarações à TSF, o diretor do gabinete de estudos territoriais do INE, Francisco Vala, explica que quiseram dar "informação o mais pormenorizada possível", num "manancial de informação" que permitiu ir ao detalhe de quase quarteirão a quarteirão (naquilo a que o INE chama 'secções estatísticas' com uma média de 300 alojamentos). Em alternativa, o utilizador pode ainda selecionar quadrados de 500x500 metros desenhados no mapa.

A aplicação permite ver pequenos blocos de quarteirões ou juntá-los nestas cidades com mais de 100 mil habitantes. Por exemplo, o centro histórico do Porto tem preços bastante mais baixos do que o de Lisboa, quase cerca de metade.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.