Metro de Lisboa moderniza escadas da estação Baixa-Chiado

Duas escadas mecânicas foram substituídas por um "equipamento novo, mais resistente"

O Metropolitano de Lisboa concluiu a primeira fase de uma modernização das escadas mecânicas da estação Baixa-Chiado, substituindo duas escadas por um "equipamento novo, mais resistente", anunciou a empresa esta segunda-feira.

Nos últimos anos, têm sido várias as queixas dos utentes sobre avarias frequentes nas escadas e nos elevadores desta estação, localizada no centro da cidade e que recebe diariamente um grande fluxo de passageiros.

"Para este trabalho, o Metropolitano de Lisboa recorreu a um método inovador, que permitiu a modernização destas escadas, aproveitando-se os respetivos chassis, elementos de grande robustez e peso", refere a mesma nota.

Em Portugal, acrescenta a empresa, este tipo de intervenção é inovador, mas é já usual noutros países, "nos casos em que se torna difícil a substituição de equipamentos, sem recurso a demolições, estragos ou encerramento de acessos".

"Com este método economizaram-se recursos ambientais, evitando-se o encerramento do acesso, reduzindo-se ainda o transporte e a movimentação de pesos de grandes dimensões, com os consequentes estragos nos acabamentos da estação", descreve a transportadora.

O Metropolitano de Lisboa prevê retomar a continuação dos trabalhos de modernização dos restantes lanços durante este ano.

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.