Incêndio em prédio de habitação em Lisboa

De acordo com fonte do Regimento de Sapadores Bombeiros (RSB), o alerta para o incêndio foi dado cerca das 07:15 pelo proprietário da habitação.

Um incêndio num edifício de habitação na Praça do Martim Moniz, em Lisboa, danificou pelo pelos um andar do prédio, segundo os bombeiros, que ainda não têm informação sobre se há pessoas desalojadas.

De acordo com fonte do Regimento de Sapadores Bombeiros (RSB), o alerta para o incêndio foi dado cerca das 07:15 pelo proprietário da habitação.

No local, pelas 07:50, estavam 17 elementos do RSB, apoiados por cinco viaturas. A mesma fonte disse também que o incêndio já estava considerado extinto.

A Lusa contactou a Polícia Municipal para saber se o trânsito foi ou não cortado no local, mas a fonte remeteu toda a informação sobre o assunto para a Câmara Municipal de Lisboa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Globalização e ética global

1. Muitas das graves convulsões sociais em curso têm na sua base a globalização, que arrasta consigo inevitavelmente questões gigantescas e desperta paixões que nem sempre permitem um debate sereno e racional. Hans Küng, o famoso teólogo dito heterodoxo, mas que Francisco recuperou, deu um contributo para esse debate, que assenta em quatro teses. Segundo ele, a globalização é inevitável, ambivalente (com ganhadores e perdedores), e não calculável (pode levar ao milagre económico ou ao descalabro), mas também - e isto é o mais importante - dirigível. Isto significa que a globalização económica exige uma globalização no domínio ético. Impõe-se um consenso ético mínimo quanto a valores, atitudes e critérios, um ethos mundial para uma sociedade e uma economia mundiais. É o próprio mercado global que exige um ethos global, também para salvaguardar as diferentes tradições culturais da lógica global e avassaladora de uma espécie de "metafísica do mercado" e de uma sociedade de mercado total.