PSP detém 12 carteiristas em Lisboa na primeira semana de agosto

Entre 1 e 8 de agosto, a PSP deteve 12 carteiristas em flagrante em várias zonas da capital. Têm entre os 22 e os 50 anos

Susete Henriques
O elétrico 28 da Carris, com muita afluência de turistas, é um dos alvos dos carteiristas© Angelo Lucas/Global Imagens

A Polícia de Segurança Pública (PSP) de Lisboa, através da Divisão de Investigação Criminal, deteve 12 carteiristas, com idades entre os 22 e os 50 anos, no espaço de uma semana, entre 1 e 8 de agosto. De acordo com a PSP, as detenções foram efetuadas no momento do crime e os bens devolvidos aos proprietários.

Em comunicado, a PSP avança que a primeira detenção foi efetuada na passada quarta-feira, dia 1 de agosto, na freguesia de Santa Maria Maior, em Lisboa. Na altura, dois homens e uma mulher roubaram um telemóvel no valor de 700 euros a um turista.

No dia a seguir, quinta-feira, dia 2, um homem e uma mulher foram detidos na estação de metro dos Anjos, na sequência de um furto de uma carteira que continha 100 euros.

Já na terça-feira, a PSP deteve um homem e uma mulher, novamente na freguesia de Santa Maria Maior, que furtaram uma carteira a uma turista, que continha 5,70 euros em dinheiro e documentos. Na segunda-feira, a detenção aconteceu no interior do elétrico 15, onde duas mulheres roubaram uma carteira no valor de 50 euros que continha documentos e 105 euros em dinheiro.

Carteiristas de nacionalidade romena

A última situação aconteceu esta quarta-feira, pelas 11h30, no Pátio Dom Fradique, onde dois homens e uma mulher foram detidos, depois de terem roubado uma carteira e um telemóvel a uma turista, bens avaliados em 404 euros.

Além dos 12 detidos, foram identificados ao longo deste período 17 carteiristas, informa ainda a PSP no comunicado.

A mesma nota dá conta ainda que todos estes suspeitos possuem antecedentes criminais pelo mesmo tipo de ilícito, sendo que três deles encontram-se a aguardar presença à Autoridade Judiciária do Tribunal da Comarca de Lisboa e aos restantes nove foram aplicadas medidas de coação não privativas da liberdade.

Os carteiristas atuam nos locais mais turísticos da capital, como a Baixa, Rossio, Restauradores, junto à estação de comboios, Cais do Sodré e Praça da Figueira

O DN sabe que os carteiristas são de nacionalidade romena. O esquema usado é o modus operandi já conhecido pela polícia, que consiste em atuarem em grupo e nunca sozinhos. Há sempre um "ajudante" a quem o indivíduo que efetua o roubo passa a carteira ou outros objetos como telemóveis.

O modo de atuação é, aliás, revelado numa página de Facebook, "Carteiristas Lisboa / Pickpocket Lisbon", que além de fotografias tem também vídeos que mostram os carteiristas em ação.

As imagens divulgadas nesta rede social comprovam que a esmagadora maioria das vítimas dos carteiristas são turistas estrangeiros. Já foram detetadas ocorrências com turistas nacionais, mas é raro. É, por isso, um tipo de crime que acontece nos locais mais turísticos da capital, como a Baixa, Rossio, Restauradores, junto à estação de comboios, Cais do Sodré e Praça da Figueira.

Os elétricos 15 e 28, que têm uma grande afluência de turistas, estão também na mira dos carteiristas. Há também ocorrências nos autocarros da Carris e nas entradas das estações de metro.