Peças, concertos e tertúlias na programação do Teatro da Trindade

Peças de teatro, concertos, tertúlias e visitas guiadas compõem a programação do renovado Teatro da Trindade para o último trimestre deste ano, sob a direcção da actriz e encenadora Cucha Carvalheiro.

Depois de submetido a obras de requalificação do edifício - que tem agora um novo telhado e a fachada restaurada -, o centenário Teatro da Trindade, situado no Chiado, em Lisboa, reabre sábado com três espectáculos: um infantil, um musical e um clássico contemporâneo.

Logo de manhã, às 11:00, o teatro dá as boas-vindas ao público infantil, com "Havia um menino que era Pessoa", uma peça infantil que parte de textos que o autor de Me escreveu para os seus sobrinhos, para mostrar uma faceta menos conhecida do poeta: o sentido de humor.

O espectáculo da noite na sala principal, que Cucha Carvalheiro fez questão de antecipar para melhor se adaptar à vida das pessoas, como explicou à Lusa -, estreia-se o musical "Máquina de Somar", baseado na peça "Adding Machine", de Elmer Rice, com composição musical de Joshua Schmidt, também co-autor do libreto, juntamente com Jason Loewith, aqui numa tradução de Ana Zanatti e encenação de Fernanda Lapa. 

Na Sala Estúdio, a companhia teatral Primeiros Sintomas apresenta, às 21:45, "Lindos Dias", uma peça de Samuel Beckett - mais conhecida dos portugueses com o título "Dias Felizes" - numa nova tradução, de João Paulo Esteves da Silva, com encenação de Bruno Bravo, que já ganhou um prémio com outra peça de Beckett, "Endgame".

A par das peças de teatro, haverá em Novembro concertos ao fim da tarde na sala principal, com Vitorino, Aldina Duarte e Fernando Tordo e, no âmbito de uma rubrica baptizada pela nova directora do teatro como "Quatro Quintas", realizam-se no foyer, nas quintas-feiras de Novembro, tertúlias sobre música de língua portuguesa. 

Os temas serão: "Cantiga da Rua", em que se discutirá qual é hoje a música da rua, que música anda hoje na rua - ou pelas ruas da amargura -, "Tudo isto é Fado?", sobre os novos caminhos do fado e derivados, "Tanto Mar", em que se debaterá a música cantada em português pelo mundo, e "A Cantiga é uma Arma?", sobre a música de intervenção portuguesa e sua evolução (serão os intérpretes de Hip-Hop e Rap os sucessores dos cantautores?), com a participação de José Mário Branco e Sérgio Godinho.

O Teatro da Trindade propõe também "Solo Brasil", um espectáculo que traça um panorama da música popular brasileira ao longo do século XX, no palco da sala principal, entre 26 e 29 de Novembro.

Em Dezembro, o teatro acolherá "O Banqueiro Anarquista - Esterco do Demónio", espectáculo integrado num ciclo dedicado a Fernando Pessoa, que retoma a temática de "Máquina de Somar", contando histórias do "vil metal" em época de recessão e crise económica, num registo irónico próximo do cabaret.

O Ciclo Pessoa culmina perto do Natal com "As Pessoas do Pessoa", um conjunto de oficinas pedagógicas coordenadas por Catarina Requeijo que permitirá aos pais deixarem os filhos no teatro por umas horas ou participarem com eles numa viagem pelas vidas interiores do poeta fingidor.

Destaque ainda para o espectáculo "A Conferência do Macaco", de Kafka, uma abordagem artística de questões científicas, apresentada no âmbito das comemorações do Ano Darwin, e para o "Trindade de Portas Abertas", que consiste em convidar o público para uma visita guiada pelos diferentes espaços do teatro: palco, salas de espectáculo, bastidores, camarins e espaços sociais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG