14 companhias presentes no Festival Internacional do Porto

Catorze companhias de cinco países participam, entre os próximos dias 11 e 19, no Festival Internacional de Marionetas do Porto (FIMP), que tem este ano o seu centro no Jardim da Cordoaria, disse hoje à Lusa fonte da organização do certame.

"São 260 participantes só na área criativa, dos quais metade são portugueses, sendo boa parte deles do Porto, o que cumpre um dos desideratos da organização do festival, o de promover os profissionais da cidade", assinalou Ada Pereira da Silva, da direcção do certame.

Além de Portugal, a França é o país com maior número de companhias presentes (seis), seguindo-se a Espanha, com duas presenças, e a República Checa e a Alemanha, com uma cada.

Entretanto, no Palacete dos Viscondes de Balsemão estará patente uma exposição de marionetas da Indonésia, oferecida pela embaixada desse país.

O FIMP2009 - o último preparado pela sua fundadora, Isabel Alves Costa, falecida inesperadamente a 15 de Agosto último - tinha tido nos últimos anos o seu centro na Praça de D. João I.

O Jardim da Cordoaria - onde o festival continuará pelo menos até 2012 - será transformado para o efeito num Jardim das Flores, com flores produzidas e "plantadas" por utentes de instituições das freguesias da Vitória e de Miragaia.

Ada Pereira da Silva frisou que os principais apoios para a realização do FIMP2009 vêm da Direcção-Geral das Artes, que aumentou este ano o seu apoio financeiro, e da Câmara do Porto.

"Apesar da diminuição do apoio da Câmara do Porto, que caiu 40 por cento este ano, por razões que nos foram explicadas e que se prendem com a actual crise económica, ela continua a ser um dos principais apoios do festival, sem o qual não seria possível a sua realização", disse aquela responsável.

Além da mudança do centro do festival da Praça de D. João I para o jardim da Cordoaria, "uma zona também central, mas muito mais povoada, o que garante maior facilidade na integração da população do festival", as outras grande novidades desta edição são o maior espaço concedido aos espectáculos de novo circo e o aumento dos espectáculos em sala.

"Haverá, no entanto, espectáculos de rua de acesso gratuitos todos os dias", disse Ada Pereira da Silva, que justificou esta opção pelo facto de muitos espectáculos de teatro de marionetas exigem condições de maquinaria e de luz que não é possível conseguir no espaço público.

Estes espectáculos de sala realizar-se-ão na Reitoria da Universidade do Porto, no Teatro Carlos Alberto, no Mosteiro de São Bento da Vitória e em tendas e estruturas montadas no espaço público.

Acrescentou que os fins-de-semana são pensados para as famílias, com propostas das companhias Karromato, da República Checa, Cal y Canto, da Espanha, e os eborenses Era Uma Vez.

O festival apresentará ainda o espectáculo "Dura Dita Dura", co-produzido com o Teatro de Ferro, assim como a proposta de marionetas de tradição chinesa apresentada pela companhia francesa Théâtre du Petit Mirroir.

O programa do FIMP prevê ainda uma Oficina de Construção de Marionetas, orientada pela portuense Limite Zero, destinada às crianças do Centro Social da freguesia da Vitória.

Decorrerá também uma oficina de manipulação de objectos e marionetas, dirigida a profissionais, coordenada pelos franceses LàOù.

O Hino do FIMP, de Hélder Gonçalves e valter hugo mãe, estará presente nas festas de abertura e de fecho do FIMP2009.

Na abertura será interpretado por formações diversas - fanfarra, grupo de fados, grupo de folclore e outros - num cortejo liderado por cavalos da GNR que culminará com um espectáculo de dança vertical da companhia francesa Retouramont na fachada da ex-Cadeia da Relação.

A fundadora do festival, Isabel Alves Costa, será objecto de uma homenagem durante a sessão de abertura, cuja forma não foi revelada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG