Suite Francesa

Leia a crítica de João Lopes ao novo filme de Saul Dibb.

JOÃO LOPES (Classificação 2/5)

Revisitando a França sob ocupação

Escusado será dizer que a vibração emocional que há neste filme se deve, antes de tudo o mais, ao romance de Irene Némirovsky que adapta: Suite Francesa é a obra (incompleta) de uma ucraniana de origem judaica que nos legou um espantoso fresco sobre a França ocupada pelos nazis, antes de ser enviada para Auschwitz, onde seria morta no Verão de 1942. De acordo com uma lógica histórica de raízes mais ou menos televisivas, o filme tenta "condensar" a acção no caso de uma jovem francesa que se apaixona por um oficial alemão, procurando recuperar as nuances do clássico melodrama de guerra: por um lado, a realização de Saul Dibb raras vezes supera a competência de um academismo sem chama; por outro lado, há algumas boas interpretações, capazes de tratar as personagens para além de qualquer cliché, em particular de Matthias Schoenaerts e Kristin Scott Thomas.

Ficha de filme

Título original: Suite française

Realizador: Saul Dibb

Com: Michelle Williams, Kristin Scott Thomas, Matthias Schoenaerts

Ano: 2014

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG