XV TUIST decorre dia 10, no Coliseu dos Recreios

As comemorações do 17.º aniversário da Tuna Universitária do Instituto Superior Técnico (TUIST) trazem de volta à capital portuguesa o Festival Internacional de Tunas "Cidade de Lisboa", que este ano se realiza no dia 10 de Abril, no Coliseu dos Recreios.

Apesar de o festival não ter este ano nenhum tema, as apresentações terão como pano de fundo o amor, disse à Lusa fonte da organização.

Realizando-se habitualmente em dois dias, o XV TUIST - Festival Internacional de Tunas "Cidade de Lisboa" foi novamente condensado em apenas um, tal como aconteceu no ano passado.

A justificação passa pelos elevados custos associados não só ao espectáculo mas também à alimentação e ao alojamento dos participantes.

A TUIST optou por realizar o festival apenas numa noite, podendo assim "garantir a qualidade do espectáculo", acrescentou a mesma fonte.

No festival deste ano estarão representadas as tunas mais conceituadas do país, que representam as diversas Academias portuguesas.

No sábado, vão estar em palco a Azeituna (Tuna de Ciências da Universidade do Minho), a Estudantina Universitária de Coimbra, a Estudantina Universitária de Lisboa e a Tuna de Engenharia da Universidade do Porto.

Naquele que é considerado no meio académico como o maior e mais conceituado festival de tunas da cidade de Lisboa vão ainda actuar, extra-concurso, a anfitriã TUIST, a sua madrinha T.A.E (Tuna Académica do Liceu de Évora) e a sua afilhada T.F.I.S.T (Tuna Feminina do Instituto Superior Técnico).

Este ano, o festival terá uma parte mais focada na tuna organizadora, estando para si reservada a segunda parte do espectáculo, de forma a apresentar ao público uma actuação mais completa.

O festival termina com a Festa da Primavera (noite 80's), na Alameda do Instituto Superior Técnico.

Na véspera do festival, sexta feira (dia 9), realiza-se no Instituto Superior Técnico a Festa da Primavera (Noite Popular), com início marcado para as 23:00 e entrada livre.

 

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.