Jazz no Parque começa amanhã em Serralves

23.ª edição do ciclo receberá artistas de sete países diferentes até ao próximo dia 27. O programa está dividido em quatro concertos, que se realizam no Parque de Serralves.

Nesta edição o Jazz no Parque ganha um novo formato, estando dividido em quatro concertos, propondo também mostrar como jazz tem evoluído e que tendências surgem nesta primeira fase do século XXI. Conta, por isso, com um novo comissário, o crítico e ensaísta Rui Eduardo Paes.

Para todos os concertos os bilhetes custam 10 euros. Estudantes e maiores de 65 anos pagam cinco euros.

Amanhã, dia 5, 18h00

O ciclo arranca com Pata Generators, uma das mais recentes formações lideradas pelo saxofonista alemão Norbert Stein, um quinteto que se situa no formato de jazz de câmara.

12 de julho, 18h00

Neste dia realiza-se o segundo concerto do Jazz no Parque, que junta o português Carlos "Zíngaro", nome maior da música improvisada, ao violoncelista Fred Lonberg-Holm e ao baterista Chris Corsano (que já trabalhou com artistas que vão de Evan Parker a Björk).

19 de julho, 17h00

Atua o Cuarteto Europa, do contrabaixista galego Baldo Martínez. Ao seu lado o músico terá Dominique Pifarely, Samuel Blaser e Ramón López.

27 de julho, 18h00

Esta 23.ª do Jazz no Parque termina com uma formação constituída propositadamente para o ciclo. O ensemble BRANCHES resulta da parceria de duas associações de músicos estabelecidas no Porto, nomeadamente a Porta-Jazz e a Sonoscopia. Este grupo é constituído por oito músicos, alguns deles envolvidos em projetos como a Orquestra Jazz de Matosinhos, Drumming GP, Lama ou Mécanosphère.

Exclusivos