Do fado ao jazz para celebrar o Dia Mundial da Música

Várias iniciativas em todo o país celebram na quarta-feira o Dia Mundial da Música, desde espetáculos de fado a concertos de música erudita e atuações de grupos infanto-juvenis.

O Dia Mundial da Música, oficializado pelo Conselho Internacional da Música, organização não-governamental apoiada pela UNESCO, celebra-se desde 1975, tendo sido uma iniciativa do violinista Yehudi Menuhin, na época presidente daquele conselho.

Em Vila do Conde, no Teatro Municipal, às 21.30, atua a Orquestra de Cordas da Academia de Música de S. Pio X, dirigida por Sónia Guerra. O diretor pedagógico da Academia, Aires Pinheiro, disse à Lusa que a orquestra é constituída por 20 alunos e professores - violino, vileta e violoncelo -, que vão apresentar uma "panorâmica da arte musical dos períodos barroco e clássico, com peças de Vivaldi, Mozart e Haydn".

Na Trofa, o coro Meninos Cantores do Município da Trofa comemora neste dia 15 anos de existência, iniciando na Casa da Cultura local uma série de apresentações comemorativas da efeméride. Às 19.00 atua o coro que é constituído por 40 vozes, dirigido por Antónia Maria Serra, seguindo-se a apresentação do seu CD "Adoro Dezembro", com poemas e música de Mário Alves, pelo cónego Ferreira dos Santos.

Em Coimbra o dia é celebrado pelo Jazz ao Centro Clube, com a apresentação, às 19.00, no Salão Brazil do seu Serviço Educativo num fórum de debate. De manhã, pelas 10.30, neste mesmo espaço na baixa coimbrã, realiza-se o "workshop" de música "GeraSom", liderado pela musicoterapeuta Paula Nozzari.

Este "workshop", segundo informa o Jazz ao Centro, "foi construído em parceria com a Associação Nacional de Apoio ao Idoso de Coimbra e vai contar com a presença de 15 pessoas, todas com mais de 60 anos".

Às 22.00 realiza-se um concerto com os Sumrrá, vindos de Espanha, que o crítico de música Candido Querol apontou como "o trio mais inovador da cena espanhola".

O trio, formado por Manuel Gutiérrez (piano), Xacobe Martínez (contrabajo) e L.A.R. Legido (bateria), surgiu em 2000 e já realizou várias digressões internacionais.

Ainda em Coimbra, às 21.30, no Pavilhão de Portugal, a Orquestra Clássica do Centro, sob a direção de David Wyn Lloyd, atua com o concertino Peter Fisher. O programa do concerto é constituído por "Romance em Fá Maior", de Beethoven para violino e orquestra, "Summer Night on the River", de Frederick Delius, e a Sinfonia n.º 38, "Praga", de Mozart.

Em Vila Franca de Xira, às 19.00, no Museu do Neo-Realismo, realiza-se o concerto Prima Luce pelo Quarteto de Guitarras de Lisboa. Este quarteto, constituído em 2006 por André Santos, Miguel Vieira da Silva, José Dias e Pedro Luís, apresenta "um programa singular, exclusivamente constituído por peças de compositores portugueses, escritas neste século XXI, por André Santos, José Dias, Francisco Tavares e Carlos Marecos.

No Museu do Fado, em Lisboa, às 19.00, Cristiana Águas apresenta o seu álbum de estreia. A intérprete será acompanhada à guitarra portuguesa por António Andrade Santos, à guitarra clássica por Nilson Dourado e no contrabaixo por Carlos Menezes, contando com a participação especial do fadista Pedro Moutinho, e ainda dos músicos Mário Pacheco, na guitarra portuguesa, e Carlos Leitão, na guitarra clássica.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.