Cassiano Branco, arquitecto de Art Déco e mau génio

PERFIL Cassiano Branco, o autor do Hotel Britania, assinou projectos como o Éden Teatro e o Cinema Império em Lisboa, o Portugal dos Pequenitos, em Coimbra, ou o Coliseu do Porto, assim como numerosos prédios de habitação, cafés, uma estação de comboios em Benguela, Angola, várias barragens e hotéis como o Grande Hotel de Luso e o Britania, então Hotel do Império. Viveu entre 1897 e 1970 e o período mais produtivo da sua carreira foram os anos 30 e 40, quando viu erigida grande parte das suas obras.

Era um arquitecto modernista, muito marcado pelo estilo Art Déco, e o seu mau génio era conhecido de todos. Por vezes abandonava os projectos por causa de desentendimentos com os proprietários dos imóveis, como aconteceu no Éden Teatro, e no Hotel do Império, que inicialmente tinha sido projectado para ser um aparthotel, "uma coisa moderníssima na altura", conta Ana Alves de Sousa.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.