Filmes de terror em Lisboa de 11 a 15 de setembro

"Byzantium", do realizador Neil Jordan, três obras de terror feitos por mulheres e dois filmes portugueses censurado são alguns dos destaques, em setembro, do Festival Internacional de Cinema de Terror MOTELx, hoje anunciado.

A sétima edição do festival está marcada de 11 a 15 de setembro, no cinema São Jorge, em Lisboa.

Hoje foi apresentada parte da programação, tendo sido dado relevo a três filmes feitos por mulheres, "presença rara num território - o terro - maioritariamente masculino", escreve a direção.

São eles "Kiss of the damned", estreia na realização de Xan Cassavetes, filha do realizador John Cassavetes, "Chained", de Jennifer Lynch, e "Dark touch", de Marina de Van.

Este ano, o festival irá ainda exibir, em estreia, "Byzantium", nova incursão de Neil Jordan no terror, depois de "Entrevista com vampiro", e o filme "Lords of Salem", do músico Rob Zombie, que assina a realização.

O realizador japonês Hideo Nakata, autor de "Ring", estará em Lisboa para mostrar "The complex".

A secção "Quarto Escuro", dedicada ao cinema português, apresentará dois filmes feitos por três pessoas que foram vítimas da censura: O dramaturgo Bernardo Santareno, o artista plástico Manuel Guimarães e o realizador António de Macedo.

Serão mostrados "O crime da aldeia velha" (1964), de Manuel Guimarães, e "A promessa" (1973), de António de Macedo.

Da programação faz parte ainda "Painless", filme do realizador espanhol Juan Carlos Medina que tem co-produção portuguesa.

Como um dos objetivos do festival é incentivar a produção de cinema de terror em Portugal, o concurso deste ano de melhor curta-metragem apresenta nove filmes: "Bilis Negra", de Nuno Sá Pessoa, "O Coveiro", de André Gil da Mata, "Desespero", de Rui Pilão, "Hair", de João Seiça, "Herdade dos Defuntos", de Patrick Mendes, "Longe do Éden", de Carlos Amaral, "Monstro", de Alex Barone, "Nico - A revolta", de Paulo Araújo", "Sara", de Miguel Ângelo.

A melhor curta-metragem receberá um prémio monetário de 3.000 euros e 2.500 de serviços de pós-produção.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG